segunda-feira, 29 de junho de 2015

Uma decisão acertada (mais uma)

Poucas coisas a acrescentar sobre a decisão da Suprema Corte americana.

Acrescento:

1 - A repercussão é positiva, tendo em conta que estamos falando do país com maior espaço na mídia, e que, de forma direta e indireta, influenciará muitos mundo afora;

2 - Falta de capacidade - ou pouca capacidade - de interpretação dos dilemas e problemas sociais - prefiro pensar desta forma a supor que é uma questão preconceituosa - leva indivíduos a racionarem de forma baixa, rasteira, ao comparar a comemoração da decisão com a fome, violência, corrupção, etc.. Uma ação positiva não anula uma outra ação positiva. Ambas são bem-vindas. Se há um ganho para uma minoria, e este ganho não afetará a liberdade de uma maioria, por que então criticá-lo?

3 - Não está em causa a alteração da família. O que se pede é a ampliação - já resguardada pela Lei - e o respeito pelas outras formas de família.

Do Finisticamente Falando (10/05/2011):



A homossexualidade existe no mundo desde sempre. A história helênica e latina estão ai para comprovar isto. Não cabe aqui um debate sobre o processo evolutivo do homossexualismo, longe disso. A história foi, já não podemos mudá-la, podemos interpretá-la da maneira que nos convenha, mas fatos são fatos. O presente em específico é o reconhecimento pelo STF da união estável entre pessoas do mesmo sexo, não tendo qualquer tipo de diferença entre união estável de pessoas de sexo diferentes. Mesmo não sendo o casamento civil, abrirá um leque de possibilidades à sociedade tida como moderna. É mais um passo na igualdade de direitos.

Muitas são as vozes contrárias, muitos são os argumentos, e, destes, poucos têm verdadeiramente fundamentação discutível. Numa linha de raciocínio, levando em consideração que escolhemos um modelo democrático com igualdade de direitos, todos os motivos contrários tornam-se infundados: nosso regime não permite que deixemos que somente a moral e os bons costumes determinem o comportamento social. Estes elementos complementares devem permanecer no consciente do humano, cabe a ele externar ou não, se achar que deve ou não deve agir de determinada forma. O que é moral para mim pode ser imoral para você. Mesmo com todo este referencial, questiono-me num ponto sobre o conflito: existem relações entre pessoas do mesmo sexo, da mesma forma que existem pessoas que não concordam com este tipo de relação por achar que é contrária a uma moral coletiva, e estes que condenam, são contrários ao reconhecimento legal destas relações. Então deveria o direito proibir o comportamento homossexual?

A família não será abalada, até porque o conceito de família não é só pai, mãe e filhos, vai além disso. O alicerce da família é a afetividade, e esta independe do sexo dos parceiros. Ou você vai me dizer que um casal de pessoas do mesmo sexo que têm um filho adotivo não formam uma família? Já até imagino o que vem na cabeça de alguns: "eles são gays, o filho também será". E o filho de um político corrupto também é corrupto? O filho de um alcoólatra é alcoólatra? O filho de um religioso fervoroso, fundamentalista será?

Alguns apelam para a biologia e dizem que não é natural pessoas do mesmo sexo manterem relações. Que crias só são possíveis através de um macho e uma fêmea. Ao final da frase anterior acrescento um "também". Somos animais, claro, mas até os animais irracionais demonstram um comportamento homossexual. Além disso, eles não têm escolhas, agem por instinto, são regidos por uma força motora que os fazem reagir de acordo a busca pela sobrevivência da espécie. O humano, além do instinto, dispõe de escolhas conscientes, e ele optará pelo caminho que o agrade da melhor forma possível.

Por fim ficam os que ainda tentam confundir o Estado com uma imensa igreja. Este é mais um claro exemplo de que quando o Estado tinha como centro de suas ações algo que não fosse o Homem, a sociedade era muito mais desigual. Não quer dizer que esta geração tenha culpa pelas barbaridades de séculos atrás, longe disso, mas até que ponto a hipocrisia não reina neste meio? É justamente a religião o principal motor que impulsiona todos os motivos acima descritos. Ela que patrocina essa recusa que ronda um inconsciente coletivo. Afinal, onde está o livre arbítrio?

domingo, 28 de junho de 2015

Gênese

Do finado blog Finisticamente Falando:

07/04/2011

Protesto! Não aceito sua justificativa Sr. Deputado Marco Feliciano. De acordo com a minha tese, todo os homens são iguais. Todos eles são a mesma matéria. Saíram do mesmo lugar. Leia-a com atenção. Deixo o aviso que ela tem um sentido contrário, parte do hoje e volta no tempo. Todos os fatos do passado são influenciados pelo presente, ou seja, não é uma história crescente, mas uma estória decrescente. É complicado, eu sei, mas leia e garanto que vai entender. Guarde a pedra para o final.

Beba:

Após algum tempo sem ter o que fazer, Deus, em um ato egoísta, decide que tudo está muito paradão e resolve fazer uma festa. Muitos fogos de artifício, purpurina e "batidão". Os anjos, que não tinham sexo - coitados - empunhavam suas espadas e arcos, tocavam seus instrumentos celestiais embalando cânticos e solos virtuosos. Historiadores mais fundamentalistas acreditam que este "som" foi a base para o "metal", contrariando os que acreditam que este segmento musical é coisa do Capeta.

O Todo Poderoso não contava com um pormenor: misturar aquela bebida e aquela comida - aqui existe uma incógnita, pois ninguém sabe o que ele bebeu e comeu - a longos solos causa um desarranjo estomacal e intestinal. A ressaca foi longa. Seis dias regrados a peidos, arrotos e vômitos. Do primeiro peido surge o Universo, e este é, sem dúvidas, o peido mais famoso de sempre, carinhosamente chamado pelos cientistas de Big Bang. Todas as galáxias são fruto desse ato flatulento.

A Terra foi o que deu mais trabalho. Ao vomitá-la, Deus teria chorado - aquele famoso vômito com choro - e disto nasceram os oceanos. Ele ficou encantado com aquela cor azul. Tão terna, tão celestial - dai vem o seu monopólio sobre todos os outros 3 x 1021, ou 3 sextrilhões, ou ainda 3.000.000.000.000.000.000.000 de possíveis planetas que existem no Universo. Não acreditava que era fruto de uma explosão ativa do conteúdo gástrico pela boca. Todo os seres e plantas surgiram dos respingos seguintes

Nada está ruim que não possa piorar. O Paizinho do Céu não suspeitava que pior é o que sai por baixo, principalmente após longos seis dias de fermentação. O que será isto? Questionava O Coiso sobre as dores que percorriam seu corpo/aura/luz (?). Os anjos, deslumbrados, assistiam a tudo. Nunca viram uma cena daquelas. Que sensação é esta? São cólicas, respondeu um anjo experiente.

Grande estrondos era o que se ouvia. Verdadeira tempestade foi o que se formou. Num ato involuntário, O Ser Supremo agachou-se. Já não aguentava as dores. Abaixado, como a espera de algo, Deus gritou: sai infeliz! De seguida um “ah...”, e todos, com caras de espanto e curiosidade, responderam “oh!”.

Ao voltar seus olhos d'água sobre o ombro, o Senhor Pai dos Pais viu um ser que nunca tinha visto. Questionou-se se aquilo tinha mesmo saído da sua cloaca. Ainda ofegante ele disse: Adão. Esse é o seu nome. Você andará pelo mundo espalhando maldade, falsidade e mentiras. Mas não esqueça o que você é e nem de onde saiu.

Vá, agora pode jogar a pedra.

quinta-feira, 25 de junho de 2015

A castanha



A calma, escudo d'alma
Esconde o que procuras
E negas, discreta
A bela - É bela, eu sei!

Invejas, na quadrilha, a Lili:
Que não amava nem a si
Sem saber, nem pensar
O quão bom é amar

E ouve-se, silenciosamente
O grito: deixe-me sair!
Reclusa, ignora

Fechada, em si
Silencia,
E dorme