sexta-feira, 9 de novembro de 2012

Há espaço para a crítica

Todos os dias - sem exceções - vejo críticas aos políticos, juristas, jornalista, jogadores de futebol, atores, canais de TV, músicos, estilos, moda, ou seja, a tudo que a humanidade produz. Todas essas  críticas geram uma reação, mas nenhuma é tão agressiva, tão desorientada, tão irracional quando se trata de críticas à crença religiosa, uma igreja, ou mesmo a um líder religioso. 

A fé, o crer sem necessária prova, esta fixação que despreza a evidência, gera um comportamento bastante agressivo no sujeito que ultrapassa o limite do simples crer e entra no campo do fanatismo, este que é o canalizador mais obscuro da mente humana, pois é uma fonte de motivação para as mais diversas barbaridades que podemos imaginar - e a história é prova disto. A simples recusa da crítica, sem qualquer argumentação coerente, já é indício de que o limiar entre a fé e o fanatismo foi ultrapassado. 

Fatático - Juggernaut X-Men

"Fanatismo (algumas características do fanático disponível na Wikipédia1)

  • Agressividade excessiva;
  • Preconceitos variados;
  • Estreiteza mental;
  • Extrema credulidade quanto a um determinado "sistema";
  • Ódio;
  • Sistema subjetivo de valores;
  • Intenso individualismo;
  • Demora excessivamente prolongada em determinada situação/circunstância."


Se há espaço para criticar todos as manifestações humanas, há espaço, também, para criticar a fé quando esta se manifesta, justamente por ela não ser somente um produto isolado e abstrato, mas, sim, mais um conceito que gera resultados práticos, como a utilização de determinada crença para guiar ações que influenciem não somente a própria vida, mas a de muitos, ou, mesmo, de uma comunidade, como é o caso de alguns políticos.

Nossa sociedade evolui - você achando ou não - em busca de um grau cada vez maior de racionalização.  E quando eu digo 'sociedade', incluo as religiões, pois a busca pela adaptação da crença às circunstâncias atuais é sinal de que nem a fé é estática e absoluta, por que, então, a sua falta de argumentos deve ser? 


1 - Fanatismo - ver bibliografia disponível aqui

7 comentários:

  1. Amei seu blog e passei a seguir se puder fazer o mesmo eu agradeço.

    Beijos!
    http://kaah-star.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado Karina.

      Já estou seguindo de volta.

      :)

      Excluir
  2. Oi! Adoro seu blog, escreves muito bem, parabéns!(como também costumo escrever, ler textos de outras pessoas é bastante inspirador, especialmente textos de qualidade como os que aqui tenho encontrado). Inscrevi meu email mas infelizmente não recebo nenhuma notificação. O que devo fazer? Obrigada,

    Lia

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Lia.

      Obrigado pelas palavras.
      Realmente o GadGet para seguir por email geralmente não funciona bem, mas é possível também que as mensagens de alerta estejam na pasta de spam do seu email. Se não estiver lá, foi mesmo falha do gerenciador. Mas estou a procura de um gadget mais eficiente.

      Excluir
    2. Oi! Olhei meu email e não há mensagens no lixo ou bloqueadas, infelizmente não recebo nenhum, mas tudo bem, quando quiser ver novos escritos seus acesso o blog (só te notifiquei para ver se poderia ser um problema em meu email). Devo dizer que sua maneira de escrever é muito interessante, parabéns! Você inspira pessoas, que como eu estão começando a escrever a perceber como pode-se ser bom, ainda mais se hover talento, como é o seu caso. Continue assim!

      P.S: Será algum dia eu terei a honra de você ler um texto meu ? Se quiser tenho uma pequena coleção de 42 textos sobre diversos assuntos, adoro opiniões de outras pessoas (só não sei se estão tão bons quanto os seus).

      Obrigada!

      Lia

      Excluir
  3. Rebeldes acham que criticar uma religião é fácil, na verdade, criticar nada é difícil, também não tão fácil. Para que uma crítica seja boa ela deve possuir argumentos coerentes positivos e/ou negativos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Justamente. A crítica sem argumentos é uma opinião vazia, e, logicamente, não pode ser considerada como algo diferente disto. Mas quando há argumentação fundamentada, a pura histeria de quem recebe a crítica perde completamente o sentido.

      Excluir